Não Cale

anaariana:

Não Cale.
Diga o que quer dizer à quem você quer dizer.
Amanhã poderá ser tarde demais e você poderá nunca mais dizer, e se arrepender quando não tiver mais volta. Não cale.
E falando ouça o que você mesmo diz, e diga a si mesmo antes de dizer ao outro. Não cale..
E use a sua voz como instrumento do perdão e lembre-se que sempre estamos aprendendo e evoluindo, nos tornando pessoas melhores e compreensíveis. Fale!
O que está lá dentro no fundo do seu coração, você precisa tirar esse peso que carrega no peito sozinho.
Não carregue o mundo nas suas costas. Você não é culpado de tudo. Saiba, se não deu de um jeito, tente de outro, senão, tente os dois jeitos juntos…
Quando duas pessoas se juntam não necessariamente alguém tem que estar certo e o outro errado. Os dois podem estar certos e quererem a razão. E as tem. Mas deve haver muita calma nessa hora porque há solução pra tudo, menos pra morte!
Se duas pessoas querem muito estarem juntas porque causar conflitos que vão trazer ódio e discórdia entre os dois seres?
Com muito amor, carinho, compreensão e foco tudo se resolve.
Respire fundo e lembre-se que o objetivo é serem felizes.
E se depois de tudo isso, nada tiver dado certo, não desista!
Em algum lugar, em algum tempo, isso tudo irá acontecer, do melhor jeito pra todos
O silêncio pode ser ouro, mas a palavra é diamante.

Ana Ariana

Sobre o Amor III

anaariana:

Eu não entendo esse tal de amor que se doa sem esperar nada em troca.
Que sangra por sua própria vontade e com louvor* 
Porque o que tenho é a porra de peito que só bate quando eu quero que pare.
Porque a paixão dói.
E quando as lágrimas descem queimando a face, o peito se enche de dor e  esvazia em lágrimas. novamente.
Saída de emergência! São os olhos. Olhos apaixonados que só tem uma direção.
Escrever sobre a paixão não deveria doer.
O peito está cheio
de dor e se esvazia
em lágrimas novamente.

Ana Ariana

*Khalil Gibran - O Profeta - Sobre o amor.

Pai III

anaariana:

Pai! Que loucura! Que loucura que é viver! Como você foi sem me dizer?
Ao rever suas fotos mais jovem, tentava me identificar.. olhava você com meu irmão no colo e imagina o que você deveria querer.. o que sonhava ser..
Dez anos depois eu viria e vinte e quatro anos depois aqui estou. Sem você. Sem meu irmão.
Olhando suas fotos, vendo você se esvaindo na minha memória… parecendo-me por instantes um desconhecido… é quando me desespero! Você não é um des… você é MEU PAI!!! 
A dor, a dúvida, o medo tomam conta de mim… e tudo o que eu queria era me familiarizar cada dia e cada vez mais contigo… queria ser teu orgulho e tu ser o meu..
Apesar de agora sermos por forças das circunstâncias, mais que pai e filha, talvez.